PhoneIcon
: (+11) 5531-7100

Skype: scan-suisse
Atendimento: Segunda a sexta 08:30h-18:00h,
Sábados 09:00h-12:00h
Contate-nos também pelo email:
scan-suisse@scan-suisse.com.br
OU PELOS TELEFONES:
(+11) 987557369, 987107949
PhoneIcon

Dinamarca

wDanNyhavnPerfDINAMARCA

A Dinamarca é um país escandinavo, no norte da Europa, membro sênior do Reino da Dinamarca, que conta ainda com Groenlândia e Ilhas Faroe, e o mais meridional dos países nórdicos, situado a sudoeste da Suécia e ao sul da Noruega, fazendo fronteira ao sul com a Alemanha e margeando ambos Mar Báltico e Mar do Norte. É composta de uma grande península, a Jutlândia (Jylland) e muitas ilhas, sobretudo Zelândia (Sjælland), Funen (Fyn), Vendsyssel-Tua, Lolland, Falster e Bornholm, assim como centenas de ilhas menores, frequentemente referidas como o arquipélago dinamarquês.

Governo:

Monarquia constitucional com sistema parlamentar de governo, com um governo central e governos locais em 98 municípios. Membro da União Européia desde 1973, embora não tenha aderido ao euro, e membro fundador da NATO e da OCDE (Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Econômica).

Sociedade:

No momento a Dinamarca está classificada como tendo o mais alto nível de igualdade de rendimentos e o melhor clima de negócios no mundo, segundo a revista Forbes. De 2006 a 2008 pesquisas classificaram a Dinamarca como’o lugar mais feliz do mundo’, com base em normas de saúde, assistência social, e educação. A pesquisa 2009 Global Peace Index classificou a Dinamarca como o segundo país mais pacífico do mundo, depois da Nova Zelândia. O país também foi classificado como o menos corrupto do mundo no Corruption Perceptions Index 2008, compartilhando a posição com Suécia e Nova Zelândia. Historicamente a Dinamarca, como seus vizinhos escandinavos, tem sido uma das culturas mais socialmente progressista do mundo.

Idioma:

O idioma nacional, o dinamarquês, é próximo ao sueco e ao norueguês, com os quais partilha fortes laços culturais e históricos. 82% dos habitantes da Dinamarca e 90,3% dos dinamarqueses étnicos são membros da igreja estatal luterana. A partir de 2009, 526.000 pessoas (9,5% da população dinamarquesa) eram imigrantes ou descendentes de imigrantes recentes. A maioria destes (54%) têm suas origens na Escandinávia ou no resto da Europa, enquanto o restante são originários principalmente de uma ampla gama de países asiáticos.

Cultura:

Hans Christian Andersen é muito conhecido internacionalmente por seus contos de fadas, como As Roupas Novas do Imperador, A Pequena Sereia e O Patinho Feio. A escritora Karen Blixen (pseudônimo Isak Dinesen), o ganhador do Prêmio Nobel autor Henrik Pontoppidan, o ganhador do Prêmio Nobel físico Niels Bohr e o filósofo Søren Kierkegaard também fizeram nome fora da Dinamarca.A capital Copenhagen abriga muitas atrações e locais famosos, incluindo os Jardins do Tivoli, Palácio Amalienborg (casa da monarquia dinamarquesa), Palácio de Christiansborg, a Catedral, o Castelo de Rosenborg, Opera House, Igreja de Frederik (Igreja de Mármore), Thorvaldsens Museu, Rundetårn, Nyhavn, escultura da Pequena Sereia. Copenhagen foi classificada como a cidade melhor de se viver do mundo pela revista Monocle.

Geografia:

Desde 2000 a Dinamarca está ligada à Suécia pela ponte de Oresund. O ponto mais setentrional do país é Skagen, e o mais ao sul é Gedser (extremo sul de Falster). A ilha de Bornholm localiza-se a leste do país, no mar Báltico. Muitas das maiores ilhas estão ligadas por pontes, com a Ponte de Oresund ligando a Zelândia à Suécia, a Great Belt ligando Fyn à Zelândia, e a Ponte Little Belt ligando Jutlândia com Funen. Ferries ou pequenas aeronaves fazem a conexão para as ilhas menores. As principais cidades são a capital Copenhagen, na Zelândia, Aarhus, Aalborg e Esbjerg, na Jutlândia, e Odense, em Fyn.O país é bastante plano, com altura média acima do nível do mar de apenas 31 metros, e o ponto natural mais alto é Møllehøj, com 170,86m. Uma característica que mostra sua estreita ligação entre a terra e o oceano é que nenhum local na Dinamarca está mais longe da costa que 52 km. O clima está na zona temperada, os invernos não são particularmente frios, com temperaturas médias de 0ºC em janeiro e fevereiro, e os verões são frescos, com temperatura média de 15,7°C em agosto. A Dinamarca tem uma média de 121 dias por ano com precipitação, recebendo em média um total de 712 milímetros por ano. O outono é a estação mais úmida, e a primavera, a mais seca.Devido à localização meridional da Dinamarca, o comprimento do dia com luz solar varia muito. Há dias curtos no inverno, com o nascer do sol em torno de 9:00h, e o pôr-do-sol em torno de 16:30h, e longos dias de verão, com o nascer do sol em torno das 4:00h e o pôr-do-sol em torno de 22:00h. O mais curto e o mais longo dia do ano são tradicionalmente comemorados. A festa para o dia mais curto corresponde aproximadamente ao Natal (dinamarquês: Jul) e modernas celebrações se concentram no 24 de dezembro. O Cristianismo introduziu a celebração do Natal, resultando na utilização do nome norueguês também para a celebração cristã. Esforços da Igreja Católica para substituir esse nome por kristmesse foram infrutíferas. A festa para o dia mais longo é conhecida na Dinamarca como Sankthansaften. Celebrações de verão acontecem desde tempos pré-cristãos.

Meio ambiente:

A Dinamarca está classificada em 10º lugar entre os países mais verdes para se viver no mundo, e historicamente tem tomado uma posição progressista sobre preservação ambiental. Em 1971 estabeleceu um Ministério do Ambiente e foi o primeiro país do mundo a implementar uma lei ambiental em 1973.Para mitigar a degradação ambiental e o aquecimento global o governo dinamarquês assinou os seguintes acordos internacionais: Tratado da Antártida, Alterações Climáticas – Protocolo de Kioto, Ato pelas Espécies Ameaçadas de Extinção, os quais têm ajudado o país na redução das emissões de CO2.A capital Copenhagen é reconhecida como uma das cidades mais ecológicas do mundo, com uma forte política municipal combinada com boa política nacional, e em 2006, recebeu o Prêmio Europeu de Gestão Ambiental. Recentemente muitos dos municípios menores, como Lolland e Bornholm, também se tornaram líderes ambientais. A Dinamarca é também lar de cinco das dez maiores centrais de aquecimento solar (CSHP). De fato, a maior do mundo destas centrais situa-se na pequena comunidade de Marstal, na ilha de Aero.

Culinária:

A culinária da Dinamarca é constituída essencialmente por carne e peixe. A refeição típica inclui uma variedade de sanduíches abertos de rugbrød (pão de centeio), ou smørrebrød, tradicionalmente servida para a refeição do meio-dia, ou frokost (almoço). Um frokost comum consiste apenas de 2 a 6 pedaços de smørrebrød preparado durante o café da manhã e embalado numa lancheira. Um frokost de luxo, ou grande mesa fria, geralmente começa com peixes como o arenque, enguia defumada ou peixe frito quente. Em seguida, vêm os sanduíches de carne, como carne assada fria com remoulade e cebolas fritas, porco assado e torresmo com couve vermelho, medalhões quentes de vitela, almôndegas dinamarquesas (frikadeller) ou patê de fígado com bacon e cogumelos.Alguns itens tipicamente dinamarqueses são o ‘Sol over Gudhjem’, literalmente’sol sobre casa de Deus’ (Gudhjem é uma cidade em Bornholm onde muitos arenques são desembarcados e defumados), que consiste de arenque defumado, cebolinha e com uma gema de ovo crua (o’sol’ ) em cima, ou o’Dyrlægens natmad’, com patê de fígado bovino, carne salgada de vitela, cebola e consommé gelatinoso. Por último são servidos queijos com rabanetes, nozes ou uvas. Chope acompanhado de pequenos copos de snaps ou aquavit são as bebidas preferidas para um frokost dinamarquês.A grande refeição quente do dia é chamada middag, mas em geral é servida à noite. Normalmente é composta de carne (de porco, bovina, cordeiro ou peixe) com molho e uma fonte de amido (carboidratos sem açúcar), como a batata cozida, arroz ou massa, às vezes complementada por salada e/ou repolho. Isto pode ser seguido por uma sobremesa, como sorvete, mousse ou rødgrød. A refeição pode ser precedida por uma sopa ou mingau quente. Destes o mais popular é o mingau de arroz (frequentemente mal traduzido como ‘arroz doce’), feito com leite, servido com uma pequena porção de manteiga e coberto com canela. Pratos populares incluem o bife de carne de porco com a pele crocante, frikadeller (almôndegas de carne de porco frita), ‘picadinho de carne’ (pedaços de carne bovina frita, que se assemelha a frikadeller, mas é 100% carne pura), filé mignon, ‘million-beef’ (carne bovina picada em molho), ‘karbonader / krebinetter’ (carne picada empanada e frita), todos os tipos de carne assada etc. Populares combinações de pratos de carne e amido incluem o Spaghetti alla Bolognese, hash (carne cozida cortada em pequenos pedaços e recozida usualmente com batatas), etc.O peixe é tradicionalmente mais consumido na costa oeste da Jutlândia, onde a pesca é uma grande indústria. Pratos de peixe defumado (arenque, cavala, enguia) de defumadores locais, ou røgerier, especialmente na ilha de Bornholm, são cada vez mais populares. Um tempero tradicionalmente preferido, a remoulade, é consumido com batatas fritas, peixes fritos, ou com sanduíches de salame ou rosbife.Como em outros países, existem também pratos especiais associados a ocasiões específicas, como o natal, aniversários, etc.