PhoneIcon
: (+11) 5531-7100
Skype: scan-suisse
email: scan-suisse@scan-suisse.com.br

Rajasthan Curto e Bonito / 13 dias Privativo 2020

Delhi – Jaisalmer – Jodhpur – Udaipur – Pushkar – Jaipur- Agra – Varanasi
Tour Code: AEI-14
Guias locais em espanhol durante as visitas

downloadpdf

PhoneIcon Informações de tours e vendas ligue: +55 (11) 5531-7100 ou  Entre em Contato

Programa

Rajasthan Curto e Bonito / 13 dias Privativo

Serviços incluídos:
– 12 noites em hotéis na categoria escolhida
– 12 cafés da manhã tipo buffet
– Traslados aeroporto-hotel-aeroporto
– Guias locais em espanhol durante todas as visitas
– 1 água mineral por dia no ônibus
– Veículos com ar condicionado
– Passeio de Elefante no Forte Amber
– Passeio de Camelo nas dunas de Jaisalmer
– Passeio de barco no Lago Pichola
– Visita seminoturna ao Ghats para assistir à cerimônia no Rio Ganges
– Passeio em richshaw até os Ghats em Varanasi
– Passeio de barco no Rio Ganges (sujeito ao nível da água)
– Entradas conforme itinerário

Não inclui:
– Gorjetas para guias, motoristas e ajudantes
Saídas 2020-21:
Diariamente – Privativo com mínimo 2 pessoas
Tarifas:
Tarifas em US$ por pessoa:
Validade 01/04 – 30/09/2020 Luxo 5* 4*
Apt duplo 2285 1856 1713
Supl. individual 999 627 527
   
Validade 01/10-2020 – 31/03 2021 exc. 20/12/2020 – 05/01/2021 Luxo 5* 4*
Apt duplo 2855 2141 1899
Supl. individual 1655 999 495
Suplementos aplicáveis em voos internos
Delhi-Jaisalmer ou Jodhpur Delhi-Jaisalmer ou Jodhpur
Delhi-Varanasi Delhi-Varanasi
Varanasi-Delhi Varanasi-Delhi
Hotéis previstos:
Categorias de hotéis
Cidade Luxo 5* 4* No. de Noites
Delhi Le Meridien Radisson Paschim Vihar Hotel LA 2
Jaisalmer Suragarh/Marriott Gorbandh Palace Rang Mahal 2
Jodhpur Ajit Bhawan Indiana Palace Park Plaza 1
Udaipur Fatehgrah Ramada Merwargath 2
Pushkar Ananta Spa Ananta Spa Aaram Bagh 1
Jaipur Hilton Radisson/Holiday Inn Park Regis 2
Agra Marriott Jaypee Palace/Radisson Clark Shriraz 1
Varanasi Taj Ganges The Clarks/Madin Amaya/HHI 1
Itinerário:
downloadpdf

Dia 1: Chegada – Delhi
Chegada a Delhi em voo internacional. Recepção e assistência por nosso representante em espanhol. Traslado ao hotel. Acomodação.

Dia 2: Delhi
Café da manhã no hotel. Hoje, visita aos seguinte lugares mais importantes de Delhi. Começamos o dia com a parte antiga de Delhi, incluindo Jamma Masjid, cuja construção começou em 1644 por ordem de Shah Jahan. É a maior mesquita da Índia, com capacidade para 25.000 pessoas, composta por três grandes portas, quatro torres de vigia e dois minaretes de 40 metros de altura, listrados alternando arenito vermelho e mármore branco. Veremos também o Raj Ghat, este belo parque onde se encontra o cenotáfio, uma plataforma de mármore preto que indica o local onde o Mahatma Gandhi foi cremado após seu assassinato, e onde foram cremados também Pandit Nehru e Indira Gandhi. Continuação da visita a Delhi, com os edifícios do governo, a Porta da Índia, um arco triunfal construído em pedra e com altura de 42 metros, no qual estão os nomes dos 90.000 soldados do exército indiano que morreram durante a Primeira Guerra Mundial. Visita panorâmica pela área do parlamento e residência do presidente.
Continuação com visita ao Templo Sikh: O Gurdwara Bngla Sahib é um templo da doutrina sikh, construído na área de Connaught Place. É o templo mais importante dos sikhs em Delhi. Milhares de pessoas de todas as religiões visitam este templo diariamente. Veremos também o Qutub Minar, um dos monumentos mais antigos da primeira cidade de Delhi, com sua construção tendo sido iniciada em 1199. Este complexo é caracterizado pela combinação de estilos hindus com elementos islâmicos. Seu minarete é o mais alto do mundo, com uma altura de 72,5 metros dispostos em cinco camadas de diâmetros decrescentes. Aos pés do minarete se encontra a Porta Alai Darwaza, feita de tijolos vermelhos e amarelos, que já foi a entrada da mesquita. Encontra-se aqui também a tumba do sultão Iltutamish e o mausoléu do Imam Zami. Retorno ao hotel e acomodação.

Dia 3: Delhi – Jaisalmer (voo direto), caso não esteja operando, voo para Jodhpur e por rodovia para Jaisalmer
Café da manhã no hotel. Traslado ao aeroporto e voo para Jaisalmer. Chegada e traslado ao hotel. Jaisalmer: também conhecida como A Cidade Dourada, está localizada na crista de uma rocha arenosa amarela e é coroada pelo Forte de Jaisalmer que tem 99 bastiões coroando a colina de Trikuta (Colina dos ‘Três Picos’), de 80 de altitude, A cidade é antiga, mas tomou o nome de ‘Jaisalmer’ em 1156, por causa do nome do Maharaja Rawal Jaisal. É uma das mais belas cidades do Rajasthan, e onde pode-se apreciar os amanheceres e entardeceres mais espetaculares de toda a Índia, já que as construções de areia amarela refletem os raios do sol nas pedras dando à cidade um aspecto dourada como se tivesse sido derramado ouro no deserto de Thar. Com aproximadamente 75.000 habitantes, a cidade vale a pena ser visitada, tanto o interior da cidadela como os monumentos ao redor, bem como experimentar andar de camelo pelo deserto na Índia. Na cidade há um lago artificial que recolhe a água da chuva, o Gadir Sagar, construído em 1367, um grupo de templos jainistas com esculturas entalhadas na rocha, vários templos hindus, o Palácio da Cidade e vários dos havelis mais impressionante do Rajasthan. Acomodação.

Dia 4: Jaisalmer
Café da manhã no hotel. Pela manhã, visita a Jaisalmer, incluindo a Fortaleza, o Lago Gadisar e os havelis. À tarde nos aproximamos das portas do deserto de Thar para um passeio de camelo pelas dunas e observar o entardecer.
A Fortaleza: construída em 1156 por Rawal Jaisal, a fortaleza coroa a cidade com sua localização a 80 metros acima na colina de Trikuta. Ainda habitados, há palácios e bazares entre os muros da fortaleza, que tem 99 bastiões em torno de uma grande circunferência. Havelis: casas que os comerciantes construíram com fachadas de pedra entalhada. Lago Gadisar: construído por Telia, uma famosa cortesã nautch (dançarina) para seu amante, um príncipe da dinastia Bhatti, e contra a vontade do marajá. Retorno ao hotel e acomodação.

Dia 5: Jaisalmer – Jodhpur (290 km, 5/6 horas)
Café da manhã no hotel. Saída para Jodhpur. Chegada e traslado ao hotel. À tarde, visita à cidade incluindo o Forte Mehrangarh, construído em 1459 por ordem de Rao Jodha, chefe do clã Rathore de Rajputs, que reivindicou seu direito como descendente de Rama (o épico Ramayana), estabelecendo assim as bases de Jodhpur. Um alto muro de pedra de quase 10 km de comprimento protege bem a cidade fortificada e conta com oito portas em várias direções. Localizado em uma colina de 150 metros de altura, é a fortaleza mais formidável e magnífica do Rajasthan e uma das maiores da Índia. Embora remonte ao século XV (1459), a maior parte permanece até hoje refere-se a 1650. Tem muros de até 60 metros de altura e abriga um palácio primorosamente decorado, com painéis esculpidos, janelas com treliças e vidros coloridos. Tem três imponentes portas, cada uma construída para comemorar uma vitória particular. Moti Mahal, o Palácio da Pérola, Phool Mahal, o Palácio da Flor, Sheesh Mahal, o Palácio do Espelho. Em seguida, e no caminho de descida da fortaleza, encontramos o Jaswant Thada, o elegante cenotáfio de mármore do marajá Jaswant Singh II. Retorno ao centro da cidade e parada em Ghanta Ghar, onde se encontra a Torre do Relógio, que é o centro desta cidade azul que é Jodhpur. Sardar Sigh ergueu esta torre, assim como o mausoléu de Jaswant Thada. Nos arredores desta torre destacam-se os diverso mercados que vamos encontrando e que recebem o nome de Mercado Sardar, onde realmente se desenvolve a vida do povo de Johdpur. Acomodação.

Dia 6: Jodhpur – Ranakpur – Udaipur (270 km, 5/6 horas)
Café da manhã no hotel. Saída por rodovia para Udaipur, visitando no percurso os famosos Templos Jainistas de Ranakpur (os guias explicam do lado de fora, pois é proibido o acesso por respeito, porque é um local de culto). Ranakpur é um dos cinco lugares sagrados da comunidade jainista. Localizados a 96 km de Udaipur, estes templos foram construídos no século XV d.C. durante o reinado de Rana. A finíssima decoração das esculturas se aproxima da pura filigrana, com detalhes, especialmente nos tetos e colunas dos templos, que são difíceis de encontrar em qualquer outro templo. Alguns dizem que os artesãos desses templos cobraram conforme o pó de mármore que eram capazes de extrair das colunas. E esta é uma das razões para o extraordinário trabalho realizado. Os deuses jainistas são 24 e são chamados de tirthankares. E é precisamente um deles (Rishabha, mais conhecido como Adinath) a quem o templo de Ranakpur é dedicado, que não é apenas o mais bonito, mas também o maior dos templos jainistas na Índia. O trabalho realizado no Templo Jain de Ranakpur é tão impressionante que o monumento foi incluído na lista dos 77 semifinalistas da votação das novas 7 maravilhas do mundo, que foram finalmente escolhidas em 2011. Após a visita, continuação para Udaipur. Chegada e traslado ao hotel. Acomodação.

Dia 7: Udaipur
Café da manhã no hotel. Pela manhã, visita à bela cidade de Udaipur, podendo admirar seu Palácio e seu museu, onde estão em exibição uma valiosa coleção de miniaturas e porcelanas e o Jardim das Donzelas, o templo Jagdish e o Museu de Tribos. À tarde, passeio de barco no Lago Pichola (sujeito ao nível da água). O Palácio da Cidade é uma das construções mais notáveis dos governantes Rajput do Rajastão. Localizado no coração da cidade de Udaipur e com torres sobre a bacia do Lago Pichola. A parte antiga do complexo palácio hoje serve como um museu que mantém o legado dos governantes Rajput para os visitantes. Duas das partes mais recentes do palácio foram convertidas em hotéis e uma parte está com a família real.
Templo de Jagdis – Este templo é um dos mais famosos da cidade. Foi originalmente construído por Maharana Jagat Singh I em 1651 d.C. Este fascinante local de culto consagra uma imagem de pedra negra do Senhor Vishnuji. Saheliyon Ki Bari – localizado no norte da cidade, está bem preservado, com fontes e quiosques, também há um pequeno museu aqui. Museu de Tribos – neste museu pode-se ver como as tribos da região do Rajastão, Gujrat, viviam ou continuam vivendo. Acomodação.

Dia 8: Udaipur – Chittorgarh – Pushkar (285 km, 6 horas)
Café da manhã no hotel. Saída para Pushkar a caminho da maior fortaleza da Índia, Chittorgah. Após a visita, continuação para Pushkar. Chegada e traslado ao hotel.
Chittorgarh é uma das fortalezas historicamente mais importantes, não só no Rajasthan, mas também em todo o norte da Índia. Majestosa e imensa, representa a história do heroísmo e do sacrifício. É só ver para imaginar, e isso ecoa as histórias cantadas pelos bardos do Rajasthan. É uma representação da cultura e dos valores do Rajput. O forte ocupa um espaço de 240 hectares em uma colina que sobe abruptamente a 180 metros.
Pushkar, situada a 14 km a noroeste de Ajmer, é um dos cinco dhams (lugares sagrados de peregrinação para hindus devotos). Pushkar também é conhecida como Tirtha Rash (‘o rei dos locais de peregrinação’) e é um lugar frequentado tanto pelos indianos como por visitantes de outros países. Assentada nas margens do Lago Pushkar, sua data de fundação é desconhecida, mas a lenda associa Brahma à sua criação. Nos Puranas (textos sagrados do hinduísmo), diz-se que o deus Brahma fez penitência por 60.000 anos para poder contemplar brevemente o Radha Krishna (deus hindu).
A pequena cidade abriga muitos templos. A maioria não é muito antiga, já que muitos foram destruídos durante as conquistas do território, mas foram reconstruídos. Além disso, é um dos lugares mais sagrados onde a divindade mais alta é Brahma (deus criador da cosmologia hindu). É uma das cidades mais antigas da Índia. O templo principal de Pushkar é dedicado ao deus hindu da criação (Brahma), e foi construído no século XIV. Há muito poucos templos no mundo dedicados ao deus Brahma, acredita-se que existem apenas quatro no mundo, o que reforça a importância deste templo de Pushkar, um dos mais importantes centros de peregrinação na Índia. Segundo a lenda, a história diz que Brahma soltou uma flor de lótus azul de sua mão, e onde a bela flor caiu formou-se um lago em uma das áreas mais desérticas da Índia. Nas margens do lago a cidade foi construída (Pushkar em sânscrito, significa ‘lótus azul’). Em Pushkar parece que há mais templos do que casas, e ao entardecer, quanto mais perto do lago, todos os sinos e tambores são ouvidos. É difícil ignorar, você se senta, fecha os olhos e se deixa contagiar pelo misticismo. Acomodação.

Dia 9: Pushkar – Jaipur (130 km, 4 horas)
Café da manhã no hotel. Saída para contemplar o Lago Pushkar. O lago é considerado um dos lugares mais sagrados do mundo para os hindus e existe a crença de que um mergulho nas águas do lago de Kartika Purnima é equivalente a realizar yajnas por várias centenas de anos yajnas são rituais de oblação). O termo oblação (do latim oblatĭo, ‘oferenda’) refere-se a uma oferta ou sacrifício feito a uma divindade. Este sacrifício, num sentido mais primitivo, corresponde à oferta de um dom perceptível pelos sentidos, como uma manifestação externa de veneração ao deus, embora possa ter mais conotações espirituais e abstratas).
O lago é rodeado por 52 ghats, de onde os devotos mergulham na água no mês de Kartik (outubro / novembro). Passamos pelos Ghats e pelo Templo de Brahma, o primeiro deus da grande trilogia hindu (Trimurti), formada por Brahma, Vishnu e Shiva. Esta trindade simboliza cada um dos ciclos da vida: criação ou nascimento, a preservação ou continuidade e a destruição do mal. Cada divindade tem várias formas de representação, exceto Brahma (literalmente ‘evolução’ ou ‘desenvolvimento’ em sânscrito). O criador é tradicionalmente representado com quatro cabeças de barba branca (símbolo da sabedoria), quatro braços e uma pele vermelha (ou amarela, nas iconografias mais modernas). Cada boca recita um dos quatro ‘Vedas’. As mãos seguram um recipiente de água usado para criar vida, um yapa-mala (colar de contas) usado para acompanhar o tempo do universo, o texto dos Vedas escrito em papel (um anacronismo, uma vez que não existiam livros na época da composição dos textos védicos), e uma padma (flor de lótus). Seu ‘veículo’ é um cisne chamado Jansa, com o qual ele voa pelo universo (este Jansa não deve ser confundido com a encarnação de Vishnu em forma de um cisne, também chamado Jansa). Sua consorte é Savitri. uma bela tartaruga esculpida em prata que se senta no chão em frente ao sanctorum ou Garbha Griha. Após a visita a Jaipur, chegada e traslado ao hotel. Acomodação.

Dia 10: Jaipur – Amber – Jaipur
Café da manhã no hotel. Excursão ao Forte Amber, com a subida sendo feita no dorso de um elefante (sujeito a disponibilidade), e a descida em jeep. O forte foi erguido pelos reis mughal com objetivo de defender a cidadela, no interior da qual se encontram um palácio e outra fortaleza em uma posição mais elevada. Em seguida, visita ao Palácio do Marajá, residência da família real de Jaipur, recinto repleto de palácios, jardins e outros edifícios entre os quais se destaca o Chandra Mahal, com sete andares de altura, e em seu interior o Museu Hawaija Sawai Man Singh II, no qual pode-se contemplar tapetes, objetos esmaltados, armas, pinturas com miniaturas, canhões e roupas dos marajás. Em seguida, visita a Jantar Mantar, o observatório astronômico, com um relógio de sol de 30 metros de altura e outros instrumentos astronômicos de grande interesse. Este é um dos cinco observatórios existentes. Próximo a esta área está o conhecido Palácio dos Ventos, ou Hawa Mahal, que na realidade é apenas uma fachada construída para que as mulheres pudessem ver as procissões dos marajás e seus convidados sem serem vistas. Retorno do hotel e acomodação.

Dia 11: Jaipur – Agra (240 km / 5 horas + 1 hora de visita)
Café da manhã no hotel. Pela manhã, saída por rodovia para Agra. Chegada e traslado ao hotel. Hoje, visita a uma das sete maravilhas do mundo, o Taj Mahal (fechado todas as sextas-feiras do ano), o monumento que fez Agra famosa em todo o mundo e que se tornou o símbolo da Índia. O Taj Mahal é um mausoléu que o Imperador Shah Jahan mandou construir em 1631 em homenagem a sua amada esposa Mumtaz Mahal, a dama do Taj, que morreu dando à luz seu décimo quarto filho em 1629. A construção, da qual participaram 20.000 pessoas, não terminou até 1653. É a amostra mais representativa da arquitetura mughal. O arquiteto principal, Isa Khan, projetou este conjunto em um retângulo de 508 por 304 metros. com um jardim central flanqueado nos quatro lados por pavilhões com planta octogonal. O mausoléu, construído inteiramente em mármore branco, fica sobre uma base de mármore com um minarete, também branco, em cada um dos cantos, que alcançam 41 metros de altura cada um.
O corpo central consiste de quatro pequenas cúpulas que circundam uma maior localizada no meio. Na cripta deste edifício de dois andares repousam os restos deste casamento. Se o conjunto arquitetônico por si só já é impressionante, a decoração conhecida como pedra dura, com pequenos detalhes como arabescos florais e motivos geométricos em baixo-relevo com pedras preciosas, é magnífica, transformando esta construção em um monumento único.
Visita também ao Forte Vermelho, declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1983. A construção data de 1565 e é concebida como um palácio amuralhado rodeado por um profundo fosso de água. A fortaleza, que é acessada a partir de uma imponente porta chamada Amar Singh, contém inúmeros palácios e imponentes edifícios construídos pelo imperador mughal Akbar e utilizados em sucessivos governos do Império mughal como base de operações do poder mughal. Retorno ao hotel e acomodação.

Dia 12: Agra – Delhi – Varanasi (200 km, 4 horas + voo)
Café da manhã no hotel. Saída para Delhi. Chegada a Delhi e traslado ao aeroporto para voo para Varanasi. Chegada e traslado ao hotel. Benares ou Varanasi é conhecida como a ‘Cidade Eterna’, hoje em dia continua a ser o local de peregrinação mais importante em toda a Índia, além de símbolo do renascimento hindu. A maior atração de Varanasi são os Ghats, degraus de onde peregrinos descem para o rio sagrado, o Ganges. Nesta tarde/noite, passeio de riquixá para ver a cerimônia Aarti nos Ghats de Varanasi. Retorno ao hotel e acomodação.

Dia 13: Varanasi – Delhi – Próximo destino
Ao amanhecer, saída para um passeio de barco no rio Ganges (sujeito ao nível da água), desembarque e caminhar a pé para o lugar das cremações para viver a atmosfera e passear pelo coração da cidade. Retorno ao hotel e café da manhã no hotel.
No retorno, café da manhã no hotel. Visita panorâmica à cidade de Varanasi incluindo o templo Bharat Mata. Traslado ao aeroporto e voo para Delhi. Espera em trânsito no aeroporto de Delhi para o voo para o seu próximo destino.

 

Consulte-nos para saber mais sobre o nosso tour Rajasthan Curto e Bonito / 13 dias Privativo