PhoneIcon
: (+11) 5531-7100

Skype: scan-suisse
Atendimento: Segunda a sexta 08:30h-18:00h,
Sábados 09:00h-12:00h
Contate-nos também pelo email:
scan-suisse@scan-suisse.com.br
OU PELOS TELEFONES:
(+11) 987557369, 987107949
PhoneIcon

Suécia

wSveStoGamlaStPerfSUÉCIA

A Suécia, oficialmente Reino da Suécia, é um país nórdico na península escandinava, na Europa Setentrional. A Suécia tem fronteiras terrestres com a Noruega a oeste e Finlândia a nordeste, e está ligada à Dinamarca pela Ponte Oresund, no sul. É o terceiro maior país da União Européia em termos de área e tem uma baixa densidade populacional, mas uma densidade consideravelmente maior na metade sul do país. Cerca de 85% da população vive em áreas urbanas, e espera-se que estes números vão aumentar gradualmente como uma parte da urbanização em curso. Estocolmo, capital da Suécia e maior cidade do país, tem uma população de cerca de 1,3 milhões na área urbana e 2 milhões na área metropolitana.

Governo:

Monarquia constitucional, na qual o rei Carl XVI Gustaf é chefe de estado, mas o poder real há muito tem sido limitado a funções oficiais e cerimoniais. Embora reconhecendo a dificuldade de se medir uma democracia, The Economist Intelligence Unit pôs a Suécia em primeiro lugar no seu índice de avaliação da democracia, entre 167 países. O orgão legislativo da nação é o Riksdag (Parlamento sueco), com 349 membros, que escolhe o primeiro-ministro. O país é membro da União Européia desde 1995 e membro da OCDE (Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Econômica).

Sociedade:

Com uma economia altamente desenvolvida, a Suécia ocupa o primeiro lugar do mundo no The Economist’s Democracy Index, e sétimo no Índice de Desenvolvimento Humano das Nações Unidas. A Suécia é uma economia mista orientada para a exportação com um sistema de distribuição moderno, excelente comunicação interna e externa, e força de trabalho especializada. A última guerra na qual a Suécia esteve diretamente envolvida foi em 1814, quando por meios militares forçou a Noruega a uma união pessoal que durou até 1905. Desde então, a Suécia vive em paz, com uma política externa de não-alinhamento em tempos de paz e neutralidade em tempos de guerra, embora tenha participado de alguns exercícios militares conjuntos com a NATO e alguns outros países, além de uma ampla cooperação com países europeus na área de tecnologia e indústria de defesa. Entre outros, empresas suecas exportam armas usadas atualmente por forças militares estrangeiras.

Idioma:

O idioma oficial é o sueco, língua germânica do norte, relacionado e muito semelhante ao norueguês e ao dinamarquês, mas diferentes na pronúncia e ortografia. Finlandeses suecos são a maior minoria lingüística do país, com cerca de 3% da população, e o finlandês é reconhecido como idioma minoritário. Outras quatro outras línguas minoritárias são igualmente reconhecidas.
Em diferentes graus, dependendo da freqüência de interação, a maioria dos suecos entende e fala inglês, graças às ligações de comércio, popularidade de viagens ao exterior, forte influência anglo-americana e a tradição de legendas em vez de dublagem nos programas de televisão e filmes estrangeiros, além da relativa semelhança dos idiomas. Dependendo das autoridades escolares locais, o inglês é atualmente disciplina obrigatória entre o primeiro e nono graus, com todos os alunos que continuam na escola secundária estudando inglês por pelo menos mais um ano. A maioria ambém estuda um ou mais dos outros idiomas. O dinamarquês e o norueguês às vezes são ensinados também como parte dos cursos de sueco para alunos locais.

Cultura:

A Suécia tem muitos autores de reconhecimento mundial, incluindo August Strindberg, Astrid Lindgren, e os vencedores do Prêmio Nobel Selma Lagerlöf e Harry Martinson. No total, sete Prêmios Nobel de Literatura foram atribuídos a suecos. Os mais conhecidos artistas nacionais são pintores como Carl Larsson e Anders Zorn, e os escultores Tobias Sergel e Carl Milles. A cultura sueca do século XX é reconhecida por trabalhos pioneiros nos primórdios do cinema, com Mauritz Stiller e Victor Sjöström, e o cineasta Ingmar Bergman e atores como Greta Garbo e Ingrid Bergman, Max Von Sydow, Ann-Margret, entre outros, tornaram-se internacionalmente famosos no cinema. Mais recentemente, os filmes de Lukas Moodysson e Lasse Hallström têm recebido reconhecimento internacional.

Ao longo de 1960 e 1970, a Suécia foi vista como um líder internacional no que agora é referida como a ‘revolução sexual’, com a igualdade de gênero sendo particularmente promovida. Atualmente o número de solteiros é um dos mais alto do mundo.

Geografia:

Situada no norte da Europa, a Suécia fica a oeste do Mar Báltico e Golfo de Bótnia, com uma longa costa, e constitui a parte oriental da península escandinava. Para o oeste é a cadeia montanhosa da Escandinávia (Skanderna), que separa a Suécia da Noruega. A Finlândia está localizado a nordeste. Tem fronteiras marítimas com a Dinamarca, Alemanha, Polônia, Rússia, Lituânia, Letônia e Estônia, e também é ligada à Dinamarca (sudoeste) pela ponte de Oresund. É o 5 º maior da Europa, e o maior da Europa Setentrional. A mais baixa elevação na Suécia é na baía do Lago Hammarsjön, perto de Kristianstad, com -2,41m (-7,91) abaixo do nível do mar. O ponto mais alto é Kebnekaise, 2111m acima do nível do mar.

A Suécia tem 25 províncias ou ‘landskap’, com base na cultura, geografia e história, usualmente agrupadas em três grandes áreas, Norrland ao Norte, a central Svealand, e Götaland, no sul. A escassamente povoada Norrland abrange quase 60% do país.

Cerca de 15% da Suécia fica ao norte do Círculo Ártico, e o sul do país é predominantemente agrícola, com aumento da cobertura florestal para o norte. Cerca de 65% da área terrestre total da Suécia é coberta por florestas. A maior densidade populacional está na região de Öresund, no sul, e no vale do lago Mälaren, perto de Estocolmo. Gotland e Öland são as maiores ilhas. Vänern e Vättern, os maiores lagos. Vänern é o terceiro maior da Europa, depois do Lago Ladoga e lago Onega, na Rússia.

A maior parte da Suécia tem clima temperado, apesar da latitude norte, com quatro estações distintas e temperaturas amenas durante todo o ano. No entanto o país está muito mais quente e seco do que outros lugares de latitude semelhante, e até um pouco mais ao sul, principalmente por causa da Corrente do Golfo. Por sua alta latitude norte, a duração do dia varia muito. Ao norte do Círculo Ártico o sol nunca se põe em parte de cada verão, e durante parte do inverno o sol nunca se levanta. A luz do dia na capital Estocolmo dura mais de 18 horas no final de junho, e apenas cerca de 6 horas no final de dezembro. O sul e a região central do país têm verões quentes e invernos frios, enquanto a parte norte do país tem os verões mais curtos e frios e invernos mais longos, mais frios e com neve.

Em média, a maior parte da Suécia recebe entre 500 e 800 mm de precipitação a cada ano, tornando-a consideravelmente mais seca do que a média global. Nevascas ocorrme principalmente de dezembro a março no sul da Suécia, de novembro a abril na Suécia central, e de outubro a maio no norte. Apesar da localização meridional, o sul e a Suécia central tendem a ser praticamente livres de neve em alguns invernos.

Meio ambiente:

A Suécia propôs a proibição de combustíveis fósseis, a gasolina dos veículos a motor, em 2025. A crise do petróleo de 1973 fortaleceu o compromisso da Suécia para diminuir a dependência dos combustíveis fósseis importados. Desde então a eletricidade foi gerada principalmente de energia hidrelétrica e nuclear. Entretanto a utilização da energia nuclear tem sido limitada.

A Suécia tem 162,707 km de estradas pavimentadas e 1.428 km de rodovias. Auto-estradas cortam a Suécia para Estocolmo, Gotemburgo, Uppsala e Uddevalla, e sobre a ponte de Oresund para a Dinamarca. O sistema de auto-estradas segue ainda em construção e uma nova auto-estrada de Uppsala a Gävle foi terminada em 2007.

Culinária:

A cozinha sueca, como a dos outros países escandinavos (Dinamarca, Noruega e Finlândia), foi tradicionalmente simples. Peixe (arenque sobretudo), carne e batatas desempenharam papéis de destaque. Especiarias eram escassas. Pratos famosos incluem almôndegas suecas, tradicionalmente servidas com molho, batatas cozidas e geléia de lingonberry, panquecas, ‘lutfisk’ e ‘Smörgåsbord’, ou buffet farto. Akvavit é uma popular bebida alcoólica destilada, e o consumo de snaps é de importância cultural. O tradicional pão torrado plano e seco tem sido desenvolvido em diversas variantes contemporâneas. Alguns alimentos importantes regionalmente são o ‘surströmming’ (um peixe fermentado) no norte, e enguias na Scania, sul da Suécia.